Z


Ao meu amado George
setembro 25, 2008, 1:28 am
Filed under: Cartas

Perdoa-me! Já tive mais confiança nas minhas promessas. Sei do teu desespero e tu sabes que o meu não é menor, nem menos assassino. Tu és o único que conhece todos os meus labirintos e o único que conhece todos os meus sentimentos. Às vezes acho que somos um só, ou a mesma coisa, não sei… Só sei que nos conhecemos como se fôssemos parte de uma mesma matéria. A metafísica não tem ajudado, e muito menos o plano que nos contorna, por isso eu necessito de ti. Eu costumava saber que as coisas iam melhorar… Hoje, entristecida, lamento ser só uma esperança. Perdoa-me por deixar isso acontecer, por deixar desandar, por perder a fé. Asseguro-te que não é desgastante querer por nós dois, lutar por nós dois, esperar por nós dois. Mas como podes ver, aqui nessa nossa individualidade, estou queimada, moída, espremida. Mas por dentro… Ah, por dentro está pior.

De quem está sempre do teu lado.