Z


Lost souls in a fish bowl
maio 22, 2009, 4:30 am
Filed under: (Des)festividades, Imagens, Poemas

3546231290_80e4c1e768Perdi minha sombra
Por falta de sol,
A pele descolore
Veio a morte e seu anzol

Deixou desalegria
Deixou desunião
Enquanto, sozinha, eu sucumbia
No velho aquário apenas vão



Conjunto Vazio
maio 20, 2009, 8:12 pm
Filed under: (Des)festividades, Amor, Desabafos

O que me assusta na morte é a pressa… Ela vem, e sem pedir licença, puxa o tapete. O que ela leva, não leva aos poucos, leva de uma vez. Para mim a morte é a saudade, é o inexplicável, e sempre, sempre é inesperada. Ninguém está pronto pra esperar a falta eterna, perder para sempre a presença de um ser, ninguém está pronto nem pra imaginar como vai ser dalí pra frente. A morte é exagerada, ela não dosa. Morrer é fácil, é só se deixar levar… Mas pra quem fica, a missão é suportar. O que me assusta na morte… É o vazio.



Me duele el corazón
maio 16, 2009, 10:46 pm
Filed under: Amor, Imagens, Música, Poemas

Que bonito sería tu mar
Si supiera yo nadar

(Barcelona – Giulia y Los Tellarini)



Correria
maio 6, 2009, 8:11 pm
Filed under: Desabafos, Festividades

Eu tô abrindo a porta, o que entrar é lucro. Entra alegria, entra tristeza, sai solidão, entra confusão… “Entre a dor e o nada, eu fico com a dor” já dizia Faulkner. A porta tá aberta, e agora? Quem vai fechá-la? Quem ousa fechá-la? E pior, quem ousa trancá-la? Tá chegando a hora, a porta abriu! Sem medo, o turbilhão de sentimentos entrou, dê a mão pros bem-vindos, escolha-os bem, depois que a porta fecha, não tem volta! Tô abrindo a porta, o que entrar… É luz!



Todo mundo tem raízes
maio 5, 2009, 5:47 pm
Filed under: Amor
Família não se escolhe

Família não se escolhe

Existem duas pessoas pelas quais nós nos reunimos.
Nossas duas raízes.
Carinhosamente, nós os chamamos de “Vovô” e “Vovó”.



Fim
maio 5, 2009, 12:17 am
Filed under: (Des)festividades, Amadores, Desabafos, Poemas

Ele teve seu deleito comigo
Enquanto a outra estava fora
Agora ela está sob seu abrigo
Mas meu coração ainda chora



Eternidade
maio 4, 2009, 3:35 pm
Filed under: Amor

– Dança comigo? – ele disse.
– Todos os dias da minha vida. – ela respondeu.